David Sobral

Facebook iconTwitter icon
Instagram icon
David Sobral é um Astrónomo e Astrofísico português na área da Astrofísica Extra-galáctica e cosmologia observacional e Professor Associado (Reader) de Astrofísica na Universidade de Lancaster no Reino Unido. Fez o ensino secundário nas escolas secundárias de Santo André e Alfredo da Silva no Barreiro com uma média final de 20 valores, tendo participado no concurso jovens cientistas e investigadores em 2003/2004 e representado Portugal na final, realizada em Dublin, em 2004. Licenciou-se em Física, pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, em 2007. De 2007 a 2011 fez o doutoramento em Astrofísica na Universidade de Edimburgo com uma bolsa internacional de doutoramento da Fundação para a Ciência e Tecnologia; a sua tese foi distinguida pela Royal Astronomical Society como a segunda melhor do Reino Unido em Astronomia/Astrofísica em 2011. Em 2011 foi-lhe oferecida uma importante NOVA fellowship no Observatório de Leiden na Holanda, seguida de um financiamento «Veni» para os melhores cientistas juniores a trabalhar na Holanda. De 2014 a 2016 foi investigador auxiliar e professor no Observatório Astronómico de Lisboa/FCUL, e em 2016 mudou-se para Lancaster, Reino Unido, como professor auxiliar (Lecturer). De 2014 a 2017 foi o representante de Portugal no comité de Utilizadores do Observatório Europeu do Sul (ESO) e é membro da direção da Sociedade Portuguesa de Astronomia desde 2015. Neste momento lidera um grupo de 5 estudantes de doutoramento e 4 estudantes de mestrado e colabora com investigadores de países de todo o Mundo. A sua investigação foca-se em compreender como é que galáxias como a nossa própria Via Láctea se formaram e evoluíram ao longo dos últimos 13 mil milhões de anos. Das suas descobertas destacam-se a quantificação do declínio do «PIB cósmico», mostrando que o Universo está em crise há 11 mil milhões de anos, a compreensão do papel do «ambiente» (fatores externos) e da «genética» (fatores internos) na formação e evolução de galáxias, incluindo o papel da rede cósmica e de gigantes tsunamis cósmicos. Em 2015 liderou a descoberta da galáxia mais brilhante no Universo primordial, a COSMOS Redshift 7 (CR7) e, desde então, descobriu centenas a milhares de novas galáxias semelhantes utilizando os maiores telescópios como verdadeiras máquinas do tempo. Recentemente estas técnicas permitiram obter o maior mapa em 3D de galáxias distantes, resultando na descoberta de 4000 mil novas galáxias distantes. Venceu vários prémios nacionais e internacionais, incluindo um financiamento «VENI» de 250 000 Euros na Holanda, um contrato investigador FCT na sua primeira edição de 2012/2013, o Prémio «Novos» 2016 em Ciência e o Prémio «Rosto do ano 2015». Para além da Ciência, sempre se interessou pela escrita/literatura e pela simplificação das mais variadas ideias. A divulgação científica é outra das atividades a que se dedica desde 2002, quando começou a escrever semanalmente para um jornal regional no Barreiro, e quando depois se tornou presidente da Associação Juvenil de Ciência e organizou vários encontros da AJC. Desde então, participou em mais de 100 palestras, debates e workshops de divulgação científica, um pouco por todo o país, mas também na Holanda, Reino Unido e Estados Unidos. Gosta de mostrar que com trabalho e motivação nada é impossível, e de explorar caminhos opostos aos que a maioria segue.

David Sobral

Autor / Author, Investigador / Researcher